alfonzamariaeppinger.com

 

 

Setembro 2013

Comissão para a celebração do 200° aniversário de nascimento
de Madre Afonso Maria Eppinger

 

  Tema : “ A grandeza de uma vida simples “
  Celebração do 200° aniversário de nascimento de Madre Afonso Maria

 

ESPIRITUALIDADE de MAM

 

200 rokov narodenia MAM

1. A Fé.

Um compromisso de Madre Afonso Maria,
a preocupação das almas.

  • É no contexto familiar e paroquial que ela aprendeu a orar e a viver a sua fé, a adorar Jesus na Eucaristia, a ter o seu olhar sobre a cruz e a contemplar os sofrimentos de Cristo. Assim, chegou progressivamente à união mística com Cristo. Ela foi uma contemplativa, vivendo na presença de Deus, mas ao mesmo tempo deu provas de dinamismo e de realismo empenhando-se, com zelo, junto dos que sofrem. Ela esforçava-se em despertar neles o amor de Deus para atingir mais facilmente a salvação das suas almas.

  • Pode-se notar, no que lhe caracterizava, que desde a sua infância até à sua primeira comunhão, aos 14 anos, ela tinha uma grande veneração pela Eucaristia e pela Missa. A Serva de Deus esperava tudo de Deus. Ela tomou a peito as questões postas pela Igreja, nomeadamente a da primacia do Papa; para a Serva de Deus, a Fé se exprimiu no apego a Deus, em Quem unicamente a alma encontra a salvação.

  • Ela viveu a sua fé, com o único objectivo de possuir Deus e de se entregar inteiramente à Sua Palavra.

  • Elisabeth teve, desde a sua infância e depois como jovem, o dom de uma fé admirável. Ela tinha um desejo forte de ouvir falar de Deus e das realidades espirituais. Ela frequentou, com interesse, os ensinamentos do catecismo e aplicava-se para nada esquecer daquilo que ela tinha compreendido. A oração fervorosa foi uma força para ela especialmente durante a sua doença. Ela foi um trampolim para um encontro cada vez mais íntimo com Deus.

  • Deus deu, à Elisabeth uma graça devido à sua obediência na fé. Ao longo dos anos cresceu nela um total abandono à vontade de Deus e para ela, isto se exprimia naturalmente na prática dos conselhos evangélicos. Como Superiora, ela ensinava às suas Irmãs, antes de tudo por exemplo, a ter confiança em Deus e a se abandonar à Providência.

  • Desde a sua infância, Elisabeth sentia-se atraída para Deus. Dizia com frequência que queria ser santa, ela queria amar somente a Deus e fazer a Sua vontade.

  • No entanto, na vida da Serva de Deus não faltaram ocasiões para manifestar uma fé heroica, já na sua família, mais tarde na Paróquia e enfim, na Congregação que ela fundou. Ela viveu a sua fé, convencida de que o Senhor é o Bom Pastor da Congregação que ajudará tanto a ela mesma como às suas Irmãs a resolver os problemas e as dificuldades espirituais.

    (Les théologiens, Rome 2009)

    de volta